Etereo

Um amor é uma grande sorte
Oportunidade única de ver o mundo por olhos novos
Um amor é uma grande morte
De uma criança da alma querendo descobrir

Quantos nomes já foram os apelidos para a felicidade
E esquecidas na memórias estão as promessas
E vencidas as histórias são agora  peças
De um teatro jamais estreado.

As bocas beijadas deixaram seus gostos
Os homens amados mudaram seus rostos
Bem na hora que eu estava me decidindo outra vez
A viver só um pouco mais do querer.

Vêm e vão, alguns mais distraídos
E quanto tempo dura o romance
Do barro ao jarro ao caco moído
Sem que se atrasem os fregueses.

E antes dessa gente tanta aparecer em dado momento
Era meu coração inteiro ou nem o tinha
Agora está aqui, sangrando de apreço
Não sei se o estanco ou se lavo nele a alma minha.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s